Busca
Receba nossa Newsletter

Imprensa

17/08/2010 - Bom Dia Brasil - Globo

Especialistas dão dicas para se aposentar com salário maior

Às vezes é melhor esperar mais um pouco antes de se aposentar para receber uma contribuição maior quando parar de trabalhar. Sócio da Machado Filgueiras dá entrevista com dicas para se aposentar com salário maior.

http://www.mfaa.adv.br/wp-content/uploads/2011/07/29_07_2011.flv

O dia a dia é corrido. A administradora de empresas Herundina Faria chefia 300 funcionários e não vê a hora de reduzir o ritmo. Poderia ter se aposentado em 2008 pelo INSS, mas decidiu adiar: “Eu já tinha tempo de me aposentar por tempo de casa, estava com 32 anos de contribuição”.

Herundina estaria recebendo R$ 1.136 por mês se tivesse se aposentado. Mas descobriu que se aumentasse o tempo de contribuição e o valor poderia ficar mais descansada no futuro. Assim vai poder se aposentar em 2013 com quase R$ 2.800.

O cálculo feito pela empresária envolveu um planejamento previdenciário, recomendando por especialistas. O aumento do valor da contribuição mensal veio depois disso e pode ser feito por qualquer pessoa e não só por quem está prestes a se aposentar. Para chegar ao valor da aposentadoria, o INSS leva em conta tudo o que a pessoa pagou até a data do pedido.

Existem quatro tipos de aposentadoria: tempo de serviço, idade, invalidez e especial – pessoas que trabalham em atividades prejudiciais à saúde.

“Só o tempo de contribuição não vai gerar um benefício no valor desejado. Existe hoje uma cultura de que a pessoa deve sempre começar no mínimo e depois no finalzinho aumentar pelo máximo. Aí está o grande erro de pensar que basta contribuir durante 30, 35 anos que ela terá um benefício de R$ 3.218 que hoje é o teto máximo da Previdência”, aponta o especialista em direito previdenciário Edson Machado Filgueiras Júnior.

Trabalhador registrado em carteira e com desconto em folha também pode aumentar a contribuição. A opção é se inscrever direto no INSS. No momento da aposentadoria é feito o cruzamento das contas.

“O INSS vai verificar no sistema dele se ele contribuiu tanto como empregado, quanto como contribuinte individual ou facultativo e vai fazer o cálculo onde serão usadas todas essas contribuições. Vai melhorar a média das contribuições”, diz o especialista em direito previdenciário Edson Machado Filgueiras Júnior.

Quando largar o trabalho, Herundina quer viajar e ter mais tempo para os amigos: “É uma maneira que eu achei de, pensando no futuro se precisar, melhorar agora que eu ainda tenho energia para trabalhar. Daqui 10 anos, cinco anos eu acho que isso vai fazer diferença no orçamento”.

De acordo com o INSS, se a pessoa estiver empregada, ela não precisa pedir demissão para requerer a aposentadoria.

 
compartilhe:
  • Add to favorites
  • RSS
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Google Bookmarks
  • Live
  • Yahoo! Bookmarks
  • del.icio.us
  • Digg
Siga-nos:
Rua Doutor César, nº 1368 - 13º Andar/Sala 1304
Santana - São Paulo/SP - Cep: 02013-004
Clique aqui para ver o mapa.

Telefone: +55 11 2763-6565
E-mail: mfaa@mfaa.adv.br
 
© Copyright 2010 - Machado Filgueiras Advogados Associados. Todos os direitos reservados
um projeto R01